terça-feira, 9 de maio de 2017

128 - Feet on the sand - Pés na areia

Por estes dias, as nossas cabeças fogem muito para o tema praia. É primavera e já faz calor. Eu já fui e já caminhei na areia, ai … como é bom … ter os pés na areia. A praia para mim, mais do que a água é a areia, as pedras as conchas e o SOL. Estar no calorzinho do Sol, com os pés enterrados na areia a ouvir o mar é totalmente relaxante para a minha alma e claro quanto menos pessoas e barulho melhor. Barulho apenas tolero o dos barcos e das gaivotas.

Como não vivo numa casa na praia, embora adore a minha, por acaso uma cidade com praias lindas, simplesmente recorro a esse tema em muitos dos meus sonhos. Neles sou tão feliz, eu falo de sonhos mas na maioria das vezes comigo, tal acontece comigo acordada. Durante o dia, às vezes enquanto espero pela minha vez em serviços públicos, basta fechar os olhos e imaginotransporto-me para outro sítio.

Contudo quando penso numa casa na praia eu penso literalmente numa casa onde se veja a praia, ou cheire a mar de tão próximo que está dele. Algo simples, humilde e acolhedor e onde até o pavimento da casa é em areia. Doida? Não sonhadora. Impossível? Não, apenas muito difícil por estes dias.

Na minha adolescência os meus pais tinham precisamente uma minúscula casa T0 num sítio de sonho a 10 min. a pé da praia. Era de madeira, tinha apenas o básico, casa de banho sim, mas com água fria, depósito ao sol, era o mais quente que se tinha e lembro-me de à noite deixar-me dormir com o som das ondas, que espetáculo. De manhã era tomar um pequeno-almoço, vestir o bikini, calçar uns chinelos e praia. Como era tão perto vínhamos almoçar a casa e voltávamos para a praia e era assim, um mês inteiro de felicidade …


A dos meus pais não tinha pavimento em areia mas na verdade um “local” amigo nosso, tinha a sua cabana situada entre a 1ª duna e a 2ª duna e o chão era de areia branca, muito, muito cool, de sonho mesmo. Infelizmente tratavam-se de construções ilegais, que acabaram por ser demolidas como tantas outras, para protecção das praias paradisíacas Portuguesas.

Ficam algumas para inspiração e quem sabe um dia ...














; )






quarta-feira, 3 de maio de 2017

127 - Special spots - locais especiais

Felizmente está outro dia lindo de sol lá fora, mesmo a calhar pois hoje é precisamente o dia internacional do Sol. Em honra deste, hoje ficam sugestões para irem lá para fora e apanharem um pouco do mesmo. 

Procurem um local no exterior, pode ser uma varanda, pátio ou um jardim, encontrem um sítio onde se possam sentar ou deitar confortavelmente e apreciem a sua luz e o seu calor, é tão bom. Fiquem só ali. Não pensem em mais nada … apreciem o momento.












Relaxem e sejam felizes : )

terça-feira, 25 de abril de 2017

126 - Small different gardens - Pequenos jardins diferentes

Este blogue existe porque desejo inspirar outros a viverem um estilo de vida Zen, conviver com a natureza e por algo belo é uma parte importante dessa filosofia. Envolvermos-nos de plantas em nossas casas, alpendres, pátios, varandas é um dos princípios, apreciar a natureza é fundamental para uma vida em harmonia.

Hoje deixo-vos vasos que foram móveis, mas que receberam uma nova função e uma segunda vida … Reutilizar, reduzir, reciclar ...









: )




segunda-feira, 17 de abril de 2017

125 - Happy Stripes - Riscas Alegres

Adoro riscas. Adoro-as na roupa, em cobertores, almofadas, tolhas, pulseiras enfim…

Adoro o ritmo que proporcionam e a alegria que vem com esse ritmo é contagiante. São na minha opinião muito atractivas e emanam boas sensações.

Hoje sugiro que as levemos para os nossos pátios ou varandas. Podem escolher um tapete, ou almofadas, podem aparecer na loiça ou nos vasos, na arte bidimensional ou tridimensional, ou simplesmente em fitas de diferentes cores penduradas que dão um espírito livre ao espaço, quase tribal e resolvem também aquele velho problema dos vizinhos demasiado perto.


O meu conselho para que resulte em algo harmonioso é que escolham 2 ou 3 cores e trabalhem com sequências, mais ou menos rigorosas, o efeito é espectacular. Juntar muitas cores pode ser complicado, por isso, quanto menos cores tivermos que conjugar mais fácil será de obter um resultado positivo.









; )


terça-feira, 4 de abril de 2017

124 - Inviting courtyards - Pátios convidativos

Homenageemos a primavera de 2017, está linda! Um pátio acolhedor que nos convide a ficar  é a prioridade agora. Não o queremos grande, nem escuro, muito menos vazio.

Queremo-lo ACOLHEDOR! Como o compor?! Simples como base tem de ter plantas, assentos, almofadas, mesa de apoio, e claridade, principalmente muita luminosidade.

Se gostam de cor, pois melhor, escolhe-se de 2 ou 3 tons que combinem, e brincamos com as cores nos vasos, almofadas, lanternas com velas aromáticas e eventualmente tapete, queremos alegria.

Se nem por isso, optem por cremes, tons neutros muito suaves, mais ou menos escuros e que resultam em espaços muito serenos e tranquilos.

Se são mais do estilo contrastes fortes, pois branco e preto também resulta e é a solução mais fácil para explorar padrões, resultam em espaços intemporais é muito modernos.

O pátio perfeito tem privacidade total e vista panorâmica, muitas plantas no chão e suspensas, mesa quadrada para 8 pessoas à sombra, cadeiras de baloiço ou camas espreguiçadeiras, uma cama cheia de almofadas com mosquiteira para umas sestas, sinos de vento, algumas lanternas com muitas velas aromáticas e iluminação suspensa. Quem o tem é certamente feliz, pelo menos no tempo que desfruta dele, seja a ler um livro, a conviver, a ouvir música ou a sonhar ...


Se não tem pátio mas tem varanda também é possível criar um espaço a uma escala menor mas igualmente convidativo e desfrutar da maravilhosa estação que é a primavera. Uma cadeira de baloiço, uma pequena mesa, umas plantas e velas. Mais simples ainda O.K. um tapete, almofadas e plantas, relaxe … descontraia-se. 














; )